PENSAMENTO

"Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer
entendimento." (Clarice Lispector)

terça-feira, 19 de agosto de 2014

LIVRO "INTERVALOS" DE LIZ RABELLO

Tirei um delicioso intervalo pós-férias para ler INTERVALOS da querida amiga escritora Liz Rabello (Editora Beco dos Poetas) que me dedicou um exemplar em abril no IV evento da Academia Nacional de Letras do Portal do Poeta Brasileiro, a qual temos a honra de fazer parte. Estava ansiosa para ler e conhecer um pouco mais sobre essa amiga das letras, tão sensível e amorosa.
Em Intervalos Liz expressa toda sua sensibilidade e amor à vida em contos autobiográficos plenos de poesias delicadas e floridas.
Ela conta de um jeito diferente. Não é compacta, e nem linear, nem tudo precisa ter um por que, fazer sentido. Abre seu coração e vai deixando fluir as palavras:

CEM RAZÕES
Liberte teu coração
ao sabor do vento
Deixe-o falar mais alto
do que o pensamento
Fluir tempestades de desejos!
Juízos pré-moldados?
Não sei não...
Coração tem cem razões
Sempre a te guiar
Sem razão nenhuma a nortear
Se a consciência comandar
Tramas do destino amordaçar
Permitas a teu coração gritar
Que queres voar e amar!

Intervalos são Janelas abertas de seu passado, como ela mesma afirma sobre sua infância, de sonhos, dos momentos alegres vividos, como também os tristes que superou e aqui fez questão de relembrar.
Palavras soltas
Perdidas nas lembranças
Apagadas da memória
Podem ser reinventadas
Costuradas com linhas
e agulhas da imaginação!

E Soube muito bem costurar tudo e apresentar de forma tocante os milagres da vida. Como ela própria diz: "Somos um milagre de Deus!" e expressa isso retirando do fundo do baú das memórias de uma mãe e de uma vovó. Evidenciando assim seus valores cristãos e de família. Mostra que soube olhar para trás e colher lições de vida para o futuro, com otimismo, amor e fé.

"... a cada instante tudo se renova e é possível crescer! Angariar multidões para um novo modo de Ver, Fazer, esculpir o Amanhã."
Seu amor pela natureza, pela literatura e livros é apaixonante em Intervalos. Uma relação tão amorosa e estreita que a deixa bem a vontade e sai voando com as borboletas coloridas, sem pressa de chegar a lugar
algum.

"De dentro dos livros...
Se agasalham os sonhos
para não morrerem de tédio!
Casulos permanentes!
...
Borboletas voam!
Desapegadas
Alegres
Livres sem noção
Loucas de emoção
Em queda livre
Precipício de incertezas
Asas de uma asa delta!"

Voei junto contigo amiga no seu passado, presente e futuro, em um "INTERVALO" mágico!

Vera Margutti

Nenhum comentário:

Postar um comentário