PENSAMENTO

"Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer
entendimento." (Clarice Lispector)

quarta-feira, 26 de março de 2014

ÁGUA VIVA

Oh água viva que me abastece!
Que rega meu espírito e mata minha sede!
Dê-me sempre desta água viva da vida, Senhor dos Céus e da Terra!
Venha preencher o meu vazio existencial!
Essa busca incessante que me transporta do sul ao norte,
Do leste ao oeste, dos confins da terra, dos confins dos mares...
Essa sede de amor, de felicidade, que expande meu peito e me sufoca
Quisera eu ser como a Samaritana que Ti encontrou
e provou e deu testemunho de Ti.
Oh Samaritana! O que fazias naquele horário, naquele poço?
Tantos casamentos! Tantas uniões erradas, desfeitas! Quanta sede!
Quanto ensinamento que jamais se perdeu no tempo!
Tantos hoje ainda, praticando os mesmos erros
Casando com os vícios, com o sexo, com o dinheiro...
Quanta sede! Quanto vazio!
O mundo carece e Ti implora
dessa água viva que sacia.

[Vera Margutti ]

Poema coletivo com os amigos e poetas da 
Academia https://www.facebook.com/groups/107478716080076/

Sequei!
Assim como secaremos todos
-negligentes que somos-
Sem lágrimas para chorar os desenganos
Sem água para transbordamos a vida.
Aline Romariz

Abundantes lágrimas
de dor
tombadas dos olhos
secam a alma.
E a negligência
- humana?
seca a fonte da vida.
Lu Narbot

És como um riacho de água cristalina,
Quando em dia chuvoso estiver marolando em
Margens oceânicas...
Contemplá-la-ei a gotejar pelo imenso mar.
Vendo-a deslizar montanha abaixo,
Construirei diques para contê-la.
Ajuntarei na relva orvalhada gota por gota,
Até transformá-la novamente em um riacho de água cristalina.
José Luiz Pires

Cristalinos como a idealizada verdade
são os nossos muitos desenganos
e apesar de investirmos em tantos planos
volta e meia a sequidão nos invade
Água, água, água, precisamos de água para aplacar o fogo insano
que nos consome até a intimidade
Água, água, água, precisamos de água
nem que seja de poço artesiano
para saciar a sede que em nós tanto arde
Tércio Sthal

Nas águas me deságuo
Misturando minhas lágrimas
Pois, de tanto chorar,
Sequei-me
E um rio formou-se
De tantas mágoas.
Lin Quintino

já não sei mais o que pensar…

são lagrimas cristalinas lavando a alma

e semeando a terra com poemas e letrinhas
Marisa Gonçalves de Almeida Santos

Mágoas sufocadas
indigestas
secas, desidratadas
quero água, água
esta sede ainda me mata.
Vera Margutti

Incolor e inodora
Cai da face de quem chora
Na alegria e na dor,
Significado de vida.
Resultado de amor.
Ivany Fulini Sversuti

Sequei…
Sedenta fiquei, triste arrebentei fileiras,
erosões profundas, em terra ardente.
Status de morte!
Eis que de súbito uma corrente de ar, mais fria,
ventos uivando, derreto-me pelas vertentes de erosão do morro seco
e me lanço em ondas de choque com águas que se precipitam rio abaixo,
transformo o nada do deserto em terra verde…
Sou o sangue da Terra! Sou água!
Liz Rabello

Sem água não poderemos ficar
Eis a angústia de minha preocupação
Lamento pelos tolos alienados
E pelas águas que se esvaem pelas mãos.
Rosana Nóbrega

Sem água seremos pó…
Outrora abundante e nós cegueira.
Sem inconsciência e abusos teremos tempo?
Sem ela erosão e desengano
Sem sua fonte a jorrar onde ficará a poesia?
Teresa Azevedo

Na tempestade que varre nosso terreiro
vais levando sonhos por inteiro
e balançando águas turbulentas
e o barco vai,sendo levado em meio a procelas e tormentas
Ismael Rocha

Sem as águas das nascentes cristalinas
Dos riachos fecundados nos rios estendidos
Seremos um planeta em triste sina
Árido sem a pujança deste liquido sofrido
O que fazer agora se o tempo chegou ao fim?
Nosso versos perdem o encanto?
As flores do campo, a rosa e o jasmim
deixarão de acalentar o meu pranto!

Dilce Nery Toledo

Nenhum comentário:

Postar um comentário