PENSAMENTO

"Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer
entendimento." (Clarice Lispector)

quarta-feira, 26 de março de 2014

LANÇAMENTO DO SEGUNDO LIVRO DO ESCRITOR MARCO HRUSCHKA: "NO QUE VOCÊ ESTÁ PENSANDO"

Ontem estive no lançamento do segundo livro de meu amigo escritor Marco Hruschka. "No que você está pensando?" é o nome de seu novo filholivro. Fiquei encantada com o evento, muito bem organizado, com presenças ilustres comoUlisses Maia, a secretária de Cultura de Maringá Olga Maria Agulhon e alguns amigos escritores como Junior Franco ,que veio de Curitiba especialmente para o evento, a escritora e amiga Angela Regina Ramalho Xavier que dia 04 estará tomando posse na Academia de Letras de Maringá. Muito feliz e grata por partilhar desse momento ímpar, especial, que valoriza a cultura literária em nossa querida cidade. Parabéns amigo Marco Hruschka pelo Livro e pelo evento. Honrada com o convite, obrigada!



ÁGUA VIVA

Oh água viva que me abastece!
Que rega meu espírito e mata minha sede!
Dê-me sempre desta água viva da vida, Senhor dos Céus e da Terra!
Venha preencher o meu vazio existencial!
Essa busca incessante que me transporta do sul ao norte,
Do leste ao oeste, dos confins da terra, dos confins dos mares...
Essa sede de amor, de felicidade, que expande meu peito e me sufoca
Quisera eu ser como a Samaritana que Ti encontrou
e provou e deu testemunho de Ti.
Oh Samaritana! O que fazias naquele horário, naquele poço?
Tantos casamentos! Tantas uniões erradas, desfeitas! Quanta sede!
Quanto ensinamento que jamais se perdeu no tempo!
Tantos hoje ainda, praticando os mesmos erros
Casando com os vícios, com o sexo, com o dinheiro...
Quanta sede! Quanto vazio!
O mundo carece e Ti implora
dessa água viva que sacia.

[Vera Margutti ]

Poema coletivo com os amigos e poetas da 
Academia https://www.facebook.com/groups/107478716080076/

Sequei!
Assim como secaremos todos
-negligentes que somos-
Sem lágrimas para chorar os desenganos
Sem água para transbordamos a vida.
Aline Romariz

Abundantes lágrimas
de dor
tombadas dos olhos
secam a alma.
E a negligência
- humana?
seca a fonte da vida.
Lu Narbot

És como um riacho de água cristalina,
Quando em dia chuvoso estiver marolando em
Margens oceânicas...
Contemplá-la-ei a gotejar pelo imenso mar.
Vendo-a deslizar montanha abaixo,
Construirei diques para contê-la.
Ajuntarei na relva orvalhada gota por gota,
Até transformá-la novamente em um riacho de água cristalina.
José Luiz Pires

Cristalinos como a idealizada verdade
são os nossos muitos desenganos
e apesar de investirmos em tantos planos
volta e meia a sequidão nos invade
Água, água, água, precisamos de água para aplacar o fogo insano
que nos consome até a intimidade
Água, água, água, precisamos de água
nem que seja de poço artesiano
para saciar a sede que em nós tanto arde
Tércio Sthal

Nas águas me deságuo
Misturando minhas lágrimas
Pois, de tanto chorar,
Sequei-me
E um rio formou-se
De tantas mágoas.
Lin Quintino

já não sei mais o que pensar…

são lagrimas cristalinas lavando a alma

e semeando a terra com poemas e letrinhas
Marisa Gonçalves de Almeida Santos

Mágoas sufocadas
indigestas
secas, desidratadas
quero água, água
esta sede ainda me mata.
Vera Margutti

Incolor e inodora
Cai da face de quem chora
Na alegria e na dor,
Significado de vida.
Resultado de amor.
Ivany Fulini Sversuti

Sequei…
Sedenta fiquei, triste arrebentei fileiras,
erosões profundas, em terra ardente.
Status de morte!
Eis que de súbito uma corrente de ar, mais fria,
ventos uivando, derreto-me pelas vertentes de erosão do morro seco
e me lanço em ondas de choque com águas que se precipitam rio abaixo,
transformo o nada do deserto em terra verde…
Sou o sangue da Terra! Sou água!
Liz Rabello

Sem água não poderemos ficar
Eis a angústia de minha preocupação
Lamento pelos tolos alienados
E pelas águas que se esvaem pelas mãos.
Rosana Nóbrega

Sem água seremos pó…
Outrora abundante e nós cegueira.
Sem inconsciência e abusos teremos tempo?
Sem ela erosão e desengano
Sem sua fonte a jorrar onde ficará a poesia?
Teresa Azevedo

Na tempestade que varre nosso terreiro
vais levando sonhos por inteiro
e balançando águas turbulentas
e o barco vai,sendo levado em meio a procelas e tormentas
Ismael Rocha

Sem as águas das nascentes cristalinas
Dos riachos fecundados nos rios estendidos
Seremos um planeta em triste sina
Árido sem a pujança deste liquido sofrido
O que fazer agora se o tempo chegou ao fim?
Nosso versos perdem o encanto?
As flores do campo, a rosa e o jasmim
deixarão de acalentar o meu pranto!

Dilce Nery Toledo

Plim, plim!

Os sapinhos já estão em festa
saltitando por muitas peças
do enxovalzinho do Noah.

Foram surgindo, sei lá de onde:
letras, cores, carinho, paciência,amor...
e a criatividade, aflorou.

Brincando com os sapinhos
com linhas, botões, tecidos e riscos
a Luanda pegou sua agulhinha mágica
E Plim, plim, plim, plim!

Costurou e tudo ficou prontinho.

Agora, e só esperar os vovôs chegar
e Noah já pode nascer.

[Vera Margutti - 22-03-2014]

"SAPINHOS!
ESTE TEMA SEMPRE ENCANTA! E TUDO FICA LINDO!
ESTE TEMA FOI ESCOLHIDO COM MUITO AMOR PELA VOVÓ VERA PARA COMPOR O ENXOVAL DO NOAH!

A VERA É UMA ESCRITORA/ POETA/ ARTISTA QUERIDA A QUAL EU SOU FÃ DE CARTEIRINHA!

PLIM! PLIM! PLIM!
COM AMOR!!" (
Luanda Carrarini)


POESIA

Em homenagem ao dia Mundial da Poesia 21-03-2014


segunda-feira, 10 de março de 2014

sábado, 8 de março de 2014

MEU JEJUM DESSA QUARESMA

Decidi que quero me presentear nesse dia dedicado às mulheres, e te convido querida amiga, a me acompanhar. Além da grandeza do gesto penitencial religioso, ainda ajudará manter a forma e até mesmo a emagrecer - quem não quer esse presente?
Vou começar hoje meu jejum da quaresma, que já anda a largas pernas, desde as cinzas da última quarta.
Existem muitas formas de jejuar, de se penitenciar, mas todas se resumem na privação de algo que muito gostamos e que somos "viciados". Dar uma podada em nossos maus hábitos, ao menos uma vez ao ano, além de atender o convite religioso nesse tempo forte da quaresma, ainda agrega benefícios para nossa saúde física e emocional.
Cada qual sabe onde peca mais nos vícios e maus hábitos. Eu, por exemplo, todo ano escolho um e cumpro o propósito de me privar dele durante esse tempo, e até já consegui "milagres" de eliminar para sempre. Que tal você começar também?
Esse ano escolhi que vou tirar aqueles irresistíveis doces e guloseimas, que literalmente adoçam minha vida, mas, que ao mesmo tempo me envenena e me engorda. Uma penitência para mim que sou formiguinha por açúcar. É óbvio que eliminar o açúcar completamente é bem mais complicado, uma vez que está presente em praticamente tudo que comemos em nosso dia a dia. Então começarei cortando aquelas delícias caseiras, que não ficam muito tempo sobre as mesas e que chamamos de sobremesas. O importante mesmo é o propósito do gesto, o cumprimento da penitência, que amanhã poderá deixar de ser penitência, pois, já o teremos dosado na medida certa, ou eliminado de vez.
Aproveito esse texto para externar a minha admiração e as minhas felicitações a esse ser"MULHER" que a cada dia se supera mais e tanto conquista. Que foram e serão sempre as grandes seguidoras de JESUS.
Um fim se semana iluminado, regado de doçuras sem açúcar, para mim e para todas e todos que quiserem me acompanhar.

[Vera Lucia Fávero Margutti]

quarta-feira, 5 de março de 2014

ALGUNS POEMINHAS INFANTIS QUE ESCREVI QUE FORAM PUBLICADOS COM AS ARTES DA LUANDA CARRARINI ATELIÊ

Sapinho saltitante

O sapinho na lagoa
pula, pula sem parar
tem alegria de sobra
para todos encantar 
sabe por que saltita tanto?
Porque  ele ainda é criança.

[Vera Margutti] 

O astronauta de lá do céu
olha a terra pequenina
 nem enxerga as criancinhas
fica só lá no mundo da lua
sem avenidas e sem ruas
no espaço que flutua
brincando de voar.
Será que ele quer voltar?

[Vera Margutti]


Os carrinhos bibip bibip
vão trafegando pelas avenidas
lá na frente o sinaleiro
vai descendo a cor verdinha
quando mudar para amarelo
já tem que ficar alerta
e ir pisando no freio
pois, logo vem o vermelho
tempo de parar e esperar
novamente o verdinho chegar
 e o passeio continuar.
[Vera Margutti]




Inquietude

video

A paz que eu procuro

Alguns pensamentos que os bons ventos me trazem.










É fácil amar quem nos ama.

É fácil amar quem nos ama
quem realiza nossas vontades
quem concorda com nossas ideias e ações.
É fácil amar quando estamos felizes
amar o cheirozinho, o perfumado
o bonito, o bem apessoado, o divertido...
Díficil, é o contrário:
conviver, aceitar as diferenças, as imperfeições,
as contrariedades, as misérias humanas.
ajudar nos momentos tristes
nas horas sombrias
da dor e da fome...
sem perfume, sem riso
com espinhos.

[Vera Margutti]

É pra lá que quero voltar.

Na maioria de minhas horas, estou só.
No aconchego de meu reino
no espaço dos personagens
povoado de sentimentos
de acontecimentos reais e imaginários.
Mergulho profundo. 
Só volto ao mundo, para respirar.
Depois de novo fôlego
descubro com alegria
que é pra lá que quero voltar.

[Vera Margutti]